Resenhas

Tartarugas até lá Embaixo, John Green

Tartarugas Até Lá Embaixo“A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.”

 

“É muito raro encontrar quem veja o mesmo mundo que o seu.”

Em um primeiro momento, eu achei que o livro abordaria a busca de Aza Holmes e sua melhor amiga, Daisy, pelo bilionário foragido da polícia cuja qualquer informação que puder levar ao encontro do cara tem uma recompensa de 100 mil dólares. Não, a trama abordada por John Green é mais do que isso.

Aza Holmes é uma adolescente de 16 anos que, além de lidar com tudo que os adolescentes precisam lidar, ela também precisa enfrentar o Transtorno Obsessivo Compulsivo e os pensamentos intrusos – pensamentos ansiosos ocasionados pela doença. Aza está procurando pelo seu ‘verdadeiro eu’ e acredita que seus pensamentos não pertencem á ela pois não consegue controlá-los. Esses pensamentos intrusos são descritos várias vezes durante a história e o leitor é colocado na espiral que é a cabeça da protagonista.

“A questão da espiral é que, se a seguimos, ela nunca termina. Só vai se afunilando, infinitamente.”

Devido aos pensamentos ansiosos, Aza está constantemente preocupada com a possível chance dela estar infectada por uma bactéria e isso a leva á um processo de higienização e troca de curativo de um machucado que está sempre aberto em seu dedo.

John Green é conhecido por seus personagens encantadores e cheios de reflexões e, em Tartarugas Até Lá Embaixo, não é diferente. Os personagens desse livro são carismáticos e divertidos. Daisy, a melhor amiga de Aza, é apaixonada por Star Wars que adora escrever fanfics. Davis, que é filho do bilionário foragido, era amigo de Aza quando ambos eram crianças; e ele é o oposto de um filho de bilionário. É inteligente, carregado de questões existenciais e apaixonado por astronomia.

Já a protagonista desse livro é um pouco do próprio autor. Green sofre desde pequeno com TOC e, quando anunciou o lançamento do livro, explicou aos fãs que seria uma ficção contendo muito de si. E durante as páginas, podemos perceber como a doença o afetou por tantos anos.

“Eu queria dizer mais, só que os pensamentos, inoportunos, indesejados, não paravam de invadir minha mente. Se eu fosse a autora da minha história, teria parado de pensar sobre o meu microbioma.”

Carregado de emoções, medos, questionamentos filosóficos e romances, John Green transformou Tartarugas Até lá Embaixo em um de seus melhores livros. É fácil se identificar com cada personagem, se apegando á eles e se encantando com a história. Green, mais uma vez, mostra por que é o queridinho da literatura contemporânea.

Para quem amou e se emocionou com A Culpa é das Estrelas, Cidades de Papel, Quem é você, Alasca?, entre outros maravilhosos livros do autor, não pode perder a chance de conhecer Aza e seus amigos, personagens brilhantes e encantadores que não te deixaram largar o livro antes de chegar na página final.

Leia também:
Cidades de Papel, John Green.
Quem é você, Alasca?, John Green.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s